Super EE e a Grande Família do Arlindo Condicionato em: gases enganosos - IEI - International Energy Initiative - Brasil
28273
post-template-default,single,single-post,postid-28273,single-format-standard,bridge-core-2.5.4,cookies-not-set,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-23.9,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.4.1,vc_responsive

Super EE e a Grande Família do Arlindo Condicionato em: gases enganosos

Super EE e a Grande Família do Arlindo Condicionato em: gases enganosos

Tempo para leitura: < 1 minuto

Problemas de gases são coisas muito complicadas. Estamos nos referindo aos gases usados como fluidos refrigerantes dentro dos ares-condicionados! Hoje, cerca de 90% dos aparelhos de ar condicionado brasileiros usam o gás R-410A. O problema é que ele é anunciado pelos vendedores como um “gás ecológico”. Ele não prejudica a camada de ozônio, mas é um gás que tem um potencial de aquecimento global 2000 vezes maior que o CO2. Não dá para chamar de ecológico um gás que causa o aquecimento global, né?

Já existem outras opções de fluidos refrigerantes como o R-32 (e todos aqueles citados pela Super EE na nossa tirinha, numa verdadeira sopa de letrinhas…). O problema é que eles ainda não estão disponíveis em quase nenhum aparelho para venda no Brasil (há apenas um ou dois modelos hoje). A Emenda de Kigali, um adendo ao Protocolo de Montreal, é uma medida adotada por muitos países para reduzir, até a total eliminação, o uso dos gases HFCs (hidrofluorcarbonetos), como o R-410A, que têm um alto potencial de aquecimento global. Mais de 100 países já ratificaram essa emenda. O problema, mais uma vez, é que o Brasil ainda não. Por enquanto, nem a Super EE pode nos ajudar nessa…

No Comments

Post A Comment