Como funciona o ar-condicionado inverter? - IEI - International Energy Initiative - Brasil
17891
post-template-default,single,single-post,postid-17891,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-13.5,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.5,vc_responsive

Como funciona o ar-condicionado inverter?

Como funciona o ar-condicionado inverter?

Tempo para leitura: 3 minutos

Nos últimos posts da seção IEI Explica foram apresentados os ares-condicionados do tipo janela e split e os três tipos mais comuns de split encontrados no Brasil – hi-wall, piso-teto e cassete. Hoje vamos falar de um tipo de tecnologia de ar-condicionado com a qual os consumidores já devem ter esbarrado nas lojas ou em conversas: a inverter.

Pode-se dizer que o principal objetivo da tecnologia inverter nos ares-condicionados é reduzir o consumo de eletricidade desses equipamentos. Mas como isso acontece? Nos ares-condicionados tradicionais, os motores trabalham com a mesma rotação. Nos do tipo inverter, a velocidade varia de forma a se ajustar à necessidade de frio que você precisa no ambiente, que não necessita ser toda aquela velocidade que o tradicional exige. Isso faz com que ele precise consumir menos eletricidade. Essa capacidade de variar a rotação vem de um velho conhecido equipamento de quem trabalha com motores elétricos, o tal do inversor de frequência, ou inverter em inglês. Daí o nome chique dado a esse tipo de ar-condicionado.

Um equipamento que gasta menos energia elétrica para fazer a mesma coisa é mais eficiente. No caso do inverter, produz o mesmo frio consumindo menos eletricidade. Os ares-condicionados inverter, portanto, são mais eficientes em relação aos demais. Além disso, eles mantêm a temperatura fria constante no ambiente e geram menos ruído. O ponto negativo é que eles podem custar mais do que os demais ares-condicionados – mas se você estiver disposto a investir essa quantia, ela pode ser recuperada ao longo de seu uso com a economia na conta de eletricidade. O percentual de economia dos aparelhos inverters em relação aos convencionais, de acordo com os fabricantes, é de 30 a 60%.

A figura a seguir mostra as diferenças entre o funcionamento do ar-condicionado convencional e do inverter. Eis a principal diferença: o aparelho convencional (representado pela linha verde) liga e desliga o compressor, enquanto o inverter (linha vermelha) continua ligado, apenas alterando a velocidade de operação.

O inverter trabalha com rotações menores em relação ao ar-condicionado convencional e essas rotações são contínuas, pois, como dissemos, o compressor do inverter nunca desliga. Por isso, os inverters são mais silenciosos, ou seja, o nível de ruído dos condensadores dos ares-condicionados inverter é menor que os convencionais, que dão partidas (bem sonoras) ao ligar.

Outra vantagem dos condicionadores de ar inverter é que a temperatura desejada é atingida mais rapidamente. Isso ocorre porque o fluido refrigerante que circula no interior dos trocadores de calor possui uma maior pressão que permite refrigerar o ar mais rápido. As estimativas são de que esse processo reduz em até 30% o tempo necessário para atingir a temperatura desejada em relação aos splits convencionais.

Os ares-condicionados inverter funcionam com o fluido refrigerante R-410A, que não prejudica a camada de ozônio; já os aparelhos convencionais usam o fluido refrigerante R-410A ou o R-22, dependendo do fabricante, sendo que este último agride essa camada – e consequentemente nós todos. Porém, o R-410A não é tão ecológico assim como os fabricantes costumam propagandear por aí: ele é um gás de grande impacto para o aumento da temperatura terrestre. Para se ter uma ideia, seu impacto negativo é quase duas mil vezes maior do que o do CO2, o famoso gás carbônico usado como padrão quando se trata do aquecimento climático. É por essa razão que está em vigor um novo compromisso global de reduzir o uso desse tipo de gases, conhecido como Emenda de Kigali. Mas isso é um assunto para outro IEI Explica.

Uma característica que pode tirar pontos do aparelho inverter em relação aos ares-condicionados convencionais é o fato de os inverters exigirem mão de obra especializada nesse tipo de equipamento no momento da instalação e para a manutenção, justamente por conta dessa tecnologia mais complexa. Isso pode encarecer o investimento em um ar-condicionado inverter em relação aos outros tipos de aparelhos.

A tecnologia inverter é encontrada mais frequentemente nos equipamentos do tipo split (por isso eles são chamados de splits inverter). Alguns fabricantes produzem o ar-condicionado inverter no modelo janela, mas eles não são comercializados no Brasil. Os aparelhos de janela inverter não são muito comuns de se encontrar em outros países também, pois o modelo split é o mais vendido.

E aí? A IEI explicou ou complicou? Deixe sua opinião e sugestão de assunto para novos posts nos comentários!

No Comments

Post A Comment